Blog

Google faz testes de entrega de mercadorias com drones

ups-delivery-drones-660x3691

O projeto está no início, mas pode acelerar o mercado de entregas rápidas e econômicas

O Google pode ser o próximo gigante do comércio eletrônico. A empresa anunciou nesta sexta-feira (29) o Project Wing, sistema de entrega de mercadorias usando drones, robôs voadores que já estão sendo testados por empresas como a Amazon. O projeto ainda está em pleno desenvolvimento pelo Google X, o laboratório de pesquisas avançadas da empresa. Os primeiros testes foram feitos durante o mês de agosto na Austrália, já que o país tem regras mais frouxas com relação ao voo de aeronaves não-tripuladas, principalmente em áreas pouco populosas.

Com um design um pouco mais avançado – um híbrido entre avião e helicóptero, como definem os criadores – o drone do Google tem asas rotativas que se movem nos modos de decolagem, aterrissagem e pouso, além de entregar as mercadorias por meio de um cabo, em vez de descer ao chão junto com o pacote. O segredo para essa mudança está no “egg”, um componente na parte inferior do modelo que libera a caixa amarrada a um cabo e é capaz de detectar a distância até o solo. A ideia é dar maior eficiência, já que se manter nas alturas é mais econômico do que pousar e decolar o tempo todo.

A ideia do Project Wing surgiu em 2012, quando a empresa começou a pensar em expandir suas operações para além do mundo digital. Já consolidada em serviços web e cloud computing, veio a ideia de tentar melhorar a vida das pessoas, garantindo entregas mais rápidas no e-commerce e, claro, firmando a própria presença nesse mercado no processo. Na liderança está Nick Roy, um especialista em robótica do MIT que deixou a instituição por dois anos para trabalhar exclusivamente na ideia.

Mais do que aumentar a velocidade das entregas, o Google parece ter também uma preocupação com o meio-ambiente, um conceito capitaneado pelo próprio fundador Sergey Brin. A ideia também é reduzir ao máximo as emissões de carbono do e-commerce, dispensando o uso de caminhões e outros meios e substituindo-os por robôs que são movidos a eletricidade e não causam danos à natureza.

Conforme o The Atlantic, a entrada do Google nesse mundo deve acelerar não apenas o mercado de entregas por drones em si, mas também aumentar a pressão sobre normas melhores para reger esse segmento.

Via Canaltech

• Leia as principais notícias e tecnologia

• Entrevistas com os principais especialistas do universo de tecnologia

• A opinião de especialistas sobre os assuntos do momento na web

Comente