Blog

Mercado de e-commerce latino-americano é o segundo que mais cresce no mundo

E-COMMERCE AL

Amazon é uma das grandes e-varejistas que quer investir mais na região

O mercado latino-americano é o segundo que cresce mais rápido no mundo, atrás apenas da China, de acordo com os dados recém publicados pelo Internet Retailer. Na pesquisa intitulada “2014 Latin America 500”, a América Latina  se mostrou um grande atrativo para comerciantes da web, como a Amazon, cujas vendas na região cresceram 142% em 2013.

O estudo revela também que as vendas dos 500 principais e-commerces latino-americanos crescerem 23% em 2013, enquanto o crescimento dos 500 principais dos Estados Unidos foi de 16%, e da Europa de 17%. Os varejistas que crescem mais rápido são lojas virtuais recém abertas e empresas de fora da região, como a Amazon.

Os 10 maiores e-varejistas listados no “2014 Latin America 500” tiveram se desenvolveram com o mercado global. B2W Digital (Brasil); Nova Pontocom (Brasil); SACI Falabella (Chile); Wal-Mart Latin America (Estados Unidos); Netshoes (Brasil); Máquina de Vendas (Brasil); Dell Inc. (Estados Unidos); Amazon.com Inc (Estados Unidos); Magazine Luiza (Brasil); e Saraiva e Siciliano (Brasil) cresceram juntas 25%, atingindo o faturamento de US$ 9,8 bilhões.

Entre os 10 maiores varejistas da lista, apenas a Amazon está entre as empresas que crescem mais rápido. Dessas empresas em maior expansão, seis varejistas são de fora da região latino-americana. O Oxylane Group, de origem francesa, está no topo da lista. O grupo comanda a loja virtual da Decathlon e aproveitou o aumento das vendas do mercado de roupas e equipamentos esportivos para aumentar suas vendas em 457% no ano passado. Em segundo lugar está o Gallerist, com crescimento de 198%.

Hoje, a América Latina representa uma pequena porção da vendas da Amazon: apenas 1,6% do total de vendas internacionais. Mas o faturamento originado na região, principalmente no Brasil, é o que mais cresce fora dos Estados Unidos. O aumento de 142% das vendas na região foi  3,7 mais veloz que na China e sete vezes mais rápido que na América do Norte.

A Amazon não revela muito sobre seus projetos para nos países da região. Mas a varejista planeja incluir livros impressos em português no e-commerce brasileiro ainda este ano. A grande varejista está ainda estudando o comportamento online dos brasileiros e latino-americanos para aumentar mais as vendas.

Via Internet Retailer

• Leia as principais notícias de tecnologia

• Entrevistas com os principais especialistas da web

• A opinião sobre os assuntos do momento na internet

Comente