Blog

Mobile commerce acelera no mundo todo

mobile commerce

Números do comércio eletrônico via smartphones e tablets crescem no Brasil e no mundo, segundo pesquisas do setor

As vendas online via dispositivos móveis estão subindo a velocidades surpreendentes. Com os smartphones e tablets cada vez mais presentes no dia-a-dia das pessoas, não foi difícil que o comércio eletrônico por esses canais se desenvolvesse. Lojas virtuais que migraram para o mobile conseguiram instalar verdadeiras filiais de seus negócios, lucrando mais. Enquanto isso, usuários estão se sentindo mais seguros para fazer um pedido pela telinha do celular.

Uma pesquisa da Criteo, que revela as tendências de consumo para o e-commerce no relatório Q1 Mobile Flash 2014, mostrou um pouco desse cenário no mundo.  O comportamento de mais de 920 milhões de consumidores serviu de base para o estudo, que analisou principalmente os efeitos da publicidade móvel sobre o e-commerce.

Aprenda a colocar a sua loja no mobile, com a edição de junho da Revista W! Nas bancas e na loja virtual

Os resultados mostraram que tablets e smartphones Android são responsáveis por 66% do total das vendas no comércio eletrônico mundial. O sistema operacional do Google gera mais venda globalmente, mais a plataforma iOS, da Apple, lidera nos Estados Unidos e Europa. Entre as categorias mais clicadas nos dispositivos móveis, 70% são para varejo, viagens, automóveis e classificados. As atividades que os usuários mais se dedicam em seus aparelhos são reserva de hotéis, aluguel de carros e compra de peças de vestuário. Nos EUA esses setores conseguiram as maiores médias de vendas, respectivamente, US$ 364,80, US$ 209,10 e US$ 105,30).

Outro padrão de comportamento revelado pelo relatório foi o do dispositivo móvel como um complemento ao computador no e-varejo. As compras geradas em um iPad, por exemplo, são 16% mais prováveis de acontecer aos domingos, enquanto as vendas pelo desktop caem 10% nesse dia da semana.

Os movimentos do Brasil

As vendas do m-commerce no mercado brasileiro também têm resultados otimistas, embora caminhem em velocidade menos acelerada do que em outros países. A última pesquisa Webshoppers, do e-bit, referente aos resultados do varejo online do Brasil em 2013 mostrou que o mobile commerce correspondia a 2,5% de todas as vendas, em janeiro do ano passado. Em dezembro, já representava, 4,8%. As expectativas são de que em 2014 esse valor continue a subir.

Uma das maiores empresas do setor na América Latina, o MercadoLivre já colhe os resultados do comércio eletrônico via dispositivos móveis. Em um relatório recente a empresa afirmou que os smartphones e tablets já são responsáveis por 15,24% do total de transações nos países latinos em que atua, incluindo o Brasil. Em maio, a empresa já havia contabilizado mais de 11 milhões de downloads de seu aplicativo. O valor das compras médias feitas nesse canais é 13% superior em comparação com as compras feitas pelo computador, segundo a companhia.

“Em muitos casos, a compra realizada por mobile é uma compra feita por impulso, na qual a pessoa quer garantir imediatamente o produto que viu em um anúncio online”, afirma Daniel Aguiar, gerente de Marketing do MercadoLivre no Brasil. “Além disso, o m-consumidor costuma ser um consumidor online frequente e se sente mais confortável em comprar produtos de ticket médio alto pelo telefone”. As compras feitas no site mobile, ou seja, fora do aplicativo, também tem um ticket médio 16% maior em comparação com o PC. 

Tudo indica que o melhor caminho para o empreendedor de e-commerce é se preparar para esse novo mercado. Os números indicam que estar presente nos celulares e tablets vai deixar de ser tendência para ser uma obrigação em pouco tempo.

 

• Leia as principais notícias e tecnologia

• Entrevistas com os principais especialistas do universo de tecnologia

• A opinião de especialistas sobre os assuntos do momento na web

 

Comente