Opinião

O valor dos bitcoins

opinião

O “dinheiro virtual” ganhou espaço e poder de compra. Mas será que a moeda está fadada ao fracasso ou ao sucesso?

Por Samuel Mucin*

Você já ouviu falar em bitcoin? Se a resposta for negativa, o que vem em sua cabeça ao ler o termo? Um jogo? Um aplicativo? Nada disso. Os bitcoins são uma nova forma de pagamentos virtuais criada por um ou vários programadores desconhecidos. Se você acha cartão de crédito inovador, PayPal uma maravilha, espere até conhecer esta novidade. Imagine chegar em um estabelecimento, e pagar com bitcoins, por meio de seu smartphone e sua chave criptográfica, transferindo suas moedinhas virtuais para o local. Fácil, limpo e seguro, não? Nem tanto, por enquanto. O conceito é legal mas na prática tudo ainda é desconhecido e experimental.

Os bitcoins são simples e complexos ao mesmo tempo. Simples pois são só um “arquivo” com criptografia pública e privada, que somente o proprietário tem conhecimento e fica armazenado em seu dispositivo para pagamentos. Complexo por dar brecha a programas mal intencionados capazes de roubar dados ou liberar bitcoins por quem quer que seja. E isso é dinheiro, certo? E não queremos ninguém mexendo em nosso dinheiro.

Bem, com essa “moeda virtual” já é possível até comprar dinheiro “real” em casas de câmbio de alguns países conforme a cotação da moeda corrente. Para se ter uma ideia, hoje, um bitcoin está girando em torno de US$ 500 a US$ 700 cada. Apesar de estar perto da bolsa, quase nenhum estabelecimento no mundo aceita bitcoins, e apenas alguns empresários mais aventureiros estão entregando seus serviços e produtos em troca da moeda. Nem todos os proprietários de bitcoin estão gastando também. Não há garantia de que o comerciante fornecerá o produto ou serviço ao pagar com o bitcoin. Por enquanto, ainda é como entregar dinheiro a alguém na confiança de que o prometido será cumprido. Não há como reclamar e pegar um bitcoin de volta, falta regulamentação e órgãos para gerenciar essas questões. Enquanto as regras não chegam, os bancos não querem saber de trabalhar com a moeda e muitos ficam com um pé atrás. Mesmo com alguns políticos e entidades nos EUA terem aprovado e visto o bitcoin como meio viável para transações financeiras, ninguém ainda conseguiu convencer. Escândalos como sites fechados pelo FBI, que vendiam armas, drogas e outros produtos ilícitos, e recebiam bitcoins também deixaram a moeda manchada.

A novidade tem potencial para, no futuro, ser usada como uma moeda global, única e virtual, deixando papéis, contratos, boletos, cartões e outros meios físicos de lado. Mas enquanto a segurança estiver em jogo, não tem negócio com bancos e empresas. Por se tratar de uma criação de programadores desconhecidos, as coisas podem ficar mais difíceis. Hoje, os aventureiros que compram bitcoins a valores muito baixos tem a esperança de lucrar no futuro, caso a moeda chegue ao mercado. No fim, como em qualquer investimento de risco, vale uma boa pesquisa para não acabar “no vermelho”.

*Samuel de Paiva Mucin é um viciado em Star Wars, fundador e curador do Plantão Nerd (www.plantaonerd.com), onde comenta os principais assuntos da cultura nerd e geek. @PlantaoNerd

Comente