Entrevistas

Para comprar e vender

Leandro-Soares-Mercado-Livre-Divulgacao_LANIMA20131022_0122_25

Leandro Soares, um dos diretores do MercadoLivre Brasil, faz apostas para o e-commerce brasileiro que cresce para compradores e vendedores

O e-commerce brasileiro lucrou R$ 28 bilhões em 2013, segundo o e-bit. O número de e-consumidores chega a 51 milhões. Parecem dados enormes. Mas pense que quase metade dos internautas brasileiros ainda não compra pela internet (são 105 milhões que têm acesso à web, segundo a IAB e o Ibope). A conclusão é de que há um grande potencial de crescimento para o setor. É o que aponta o mercado e o diretor de marketplace do MercadoLivre, Leandro Soares. O executivo falou à Revista W sobre o assunto e comentou as tendências para o varejo on-line. O mobile commerce é um dos destaques, já que impulsionado pela banda larga móvel, trouxe mais acessos a lojas virtuais por meio de smartphones conectados. Confira a entrevista completa:

Revista W: O setor de e-commerce está em alta segundo os dados mais recentes. Como você vê o mercado para este ano?
Leandro Soares: A leitura de vários institutos que fazem a leitura desse mercado mostram que tivemos um crescimento de 20% a 25%, isso para a maioria dos indicadores de 2013. As expectativas são de que o crescimento continue elevado este ano e isso parte de uma série de fatores. Mesmo com a economia brasileiro não crescendo tanto quanto o esperados durante o ano passado, aparecera, algumas alavancas que fazem com que as vendas aumentem na internet. A penetração da web aumentou. Hoje temos mais brasileiros que acessam a web, o que abrange cerca de metade da população. E esse número já vem crescendo. Há também agora uma grande quantidade de consumidores chegando à rede, que são os da classe C e D. São pessoas que em um primeiro momento começam participando de redes sociais e agora estão comprando online. Quando olhamos para o percentual de vendas de lojas virtuais com relação ao varejo como um todo, o índice ainda fica em torno de 3% a 4%. Em países desenvolvidos esse número chega a 12%. De certa forma, isso significa que há de 94% a 96% de oportunidade de crescimento e com essas alavancas acredito em um aumento em 2014.

W: O universo mobile (com o m-commerce) também apareceu na “jogada”. Como você enxerga esse movimento do varejo online para essas plataformas?
LS: Acho que esta é uma tendência muito forte e que com certeza vai aumentar nos próximos anos. Se olharmos os próprios números do MercadoLivre, já percebemos essa movimentação. Na América Latina, 12% doa cesso ao site vêm de redes mobile. O que inclui também nossos aplicativos para Android, iOS, Windows Phone e Blackberry. Lançamos o app em 2011, quer dizer, não fez nem 3 anos e já temos esse tráfego. Além disso, 10% das transações financeiras na plataforma já são feitas por dispositivo móveis (5% no Brasil). Então vejo a mobilidade como uma fonte muito forte para alavancar as vendas.

W: No MercadoLivre há tanto os que querem comprar, quanto os que querem vender. A quantidade desses últimos também aumentou?
LS: Sim. Temos dois tipos de clientes, o comprador e o vendedor. Ainda não fechamos os números de 2013, mas em 2012 o número de pessoas que venderam na plataforma (levando em conta os que venderam pelo menos um produto, na América Latina) é de 6 milhões, e 17 milhões de compradores. É uma comunidade ativa, e há um perfil forte: normalmente quem compra não vende. Oferecemos uma plataforma como um marketplace gratuito, com todas as ferramebtas e a demanda de pessoas que “passam” pela página. Então não exige investimento nenhum, o que facilita o empreendedorismo.

W: E qual o perfil do usuário vendedor?
LS: Há as pessoas físicas que, por exemplo, têm uma bicicleta novas que ganhou mas ficou encostada ou até mesmo um produto usado e que vão até a plataforma para vender. Essa é a grande maioria dos usuários do site. Por outro lado, há o perfil do vendedor profissional que é a pessoa jurídica que usa o MercadoLivre para fazer suas vendas. É um grupo menos, de 50 mil vendedores que geram 148 mil empregos e é o grande responsável pelo volume de vendas. Esses vendedores conseguem  vender milhares de produtos por dia.

W: Qual o segredo dos vendedores bem-sucedidos do MercadoLivre?
LS: O MercadoLivre é no mundo online o que o shopping center é para o mundo físico. Há uma concentração de vebdedores que geram muitas ofertas (são ao menos 19 milhões). Por isso o destaque acaba dependendo de uma série de pontos. São cerca de mil buscas feitas no site por segundo, de pesoas que digitam algo na ferramenta de pesquisa. Então um título contendo palavras-chave, que identifiquem facilmente o que se está vendendo, ajuda o usuário a encontrar o produto. Segundo: fotos de qualidade, de alata resolução, com fundo branco e de vários ângulos ajudam a mostrar os detalhes. Nós oferecemos espaço para até 6 fotos e um vídeo. Terceiro: uma boa descrição com informações mais técnicas, que expliquem que tipo de produto é, do que é feito e dimensões.

Por fim, as chances de haver outras pessoas vendendo o mesmo item que você são grandes. Aí vem o fator preço ou frete grátis. Percebemos ao longo do tempo que o consumiro hoje não quer pagar um frente barato, que pagar frete nenhum. Então os termos “frete grátis” são grandes impulsionadores de vendas.

Publicado originalmente na edição 164 (março de 2014). Todos os direitos reservados

• Leia as principais notícias e tecnologia

• Entrevistas com os principais especialistas do universo de tecnologia

• A opinião de especialistas sobre os assuntos do momento na web

 

 

Comente