Entrevistas

Um concorrente de peso

firefox-os-entrevista

Primeiros smartphones com Firefox OS mostram que a Mozilla está empenhada em chegar ao mobile de braços dados com as novas tecnologias

A competitividade do mercado mobile está em alta. No Brasil, as vendas de smartphones alcançaram a marca de 10,4 milhões de dispositivos vendidos no terceiro trimestre de 2013, segundo dados do IDC. Com mais opções de aparelhos e uma fatia generosa de consumidores, os principais sistemas móveis disputam a preferência dos usuários. Em meio aos embates entre Android, iOS e Windows Phone, chega o Firefox OS, a grande aposta da Mozilla. Por isso, para entender melhor este mundo que só está começando, a Revista W conversou com Andreas Gal, vice-presidente da área de mobile da Mozilla, e com o desenvolvedor Milton Stiilpen Junior, que criou um aplicativo agregador de notícias, o BraSum que tem uma versão para a plataforma recém-chegada.

O que o Firefox OS promete

Revista W: Quais são as expectativas da Mozilla após a chegada do Firefox OS por aqui?
Andreas Gal: O primeiro dispositivo com Firefox OS no mundo, o LG Fireweb, foi lançado pela Telefônica Vivo no Brasil em outubro de 2013. O país é o mercado líder de telecomunicações na América Latina. É uma boa oportunidade para crescimento no setor. Queremos melhorar a web global, oferecendo experiências de qualidade para smartphones, por um preço acessível. E os desenvolvedores estão animados com o Firefox OS. O marketplace tem mais de 50 apps brasileiros em diferentes categorias.

W: Como a Mozilla vê os concorrentes?
AG: O sucesso é medido com base no impacto do Firefox OS na indústria, o quanto de inovação será estimulada, em que medida serão adotados padrões abertos e APIs e se criamos produtos que as pessoas gostam. A Mozilla está interessada em ajudar mais pessoas a mudar de um celular comum para um smartphones, e eles podem se beneficiar do acesso a uma web aberta que não é controlada por empresas específicas. Nós encorajamos fortemente outros players a adotar abordagens de ecossistema aberto. Uma competição saudável é melhor para os usuários.

W: O SO faz uma forte aposta no HTML5. Quais são seus principais benefícios?
AG: O principal é a habilidade de adotar uma variedade de tamanhos de telas e resoluções. Isso economiza tempo e dinheiro para desenvolvedores porque adaptaçãoes não são necessárias. Além disso, é uma plataforma familiar ao desenvolvedor web e não requer um ambiente de desenvolvimento ou ferramentas específicas.

W: O que é preciso saber para a criação de apps para o Firefox OS?
AG: Em vez de ter que aprender uma nova linguagem, desenvolvedores web podem reutilizar seu conhecimento em HTML, CSS e JavSacript para criar aplicativos usando as bibliotecas com as quais já estão acostumados. O simulador do Firefox OS te dá 90% de autonomia para criar um app sem um celular. Esse recurso do Firefox permite teste e debug muito mais rápido dos aplicativos no computador. Esse ciclo é muito mais rápido com o simulador.

W: Onde encontrar mais informações para criar aplicativos para Firefox OS?
AG: Para mais informações sobre como submeter um aplicativo feito para a plataforma acesse a página do desenvolvedor Mozilla. Para submeter um app, vá para a parte do marketplace.

Para quem desenvolve

W: Como o app BraSum foi desenvolvido?
Milton Stiilpen: O aplicativo está sempre em desenvolvimento. Por ser novo, estamos sempre refazendo o que não ficou bom, adicionando novos recursos e melhorando pontos que os nossos leitores levantam. É um processo bastante rápido. Usamos HTML5 e CSS3, e as funcionalidades são processadas em um backend (distribuído via Google Cloud) implementado com módulos Java e Python. Criar um app para o Firefox OS é incrivelmente rápido. Usamos a base do app que já existia para Android e iOS e implementamos o que era nativo em outras plataformas em HTML5, sem dificuldade, já que há uma vasta documentação e comunidade online. Depois disso, o app já estava rodando bem num GeeksPhone low-end.

W: Por que começar a desenvolver aplicativos para um SO recém-chegado?
MS: Essa respostas é fácil. Atacar uma plataforma nova abre portas para consumidores fiéis. Uma vez que não há concorrência real, o usuário faz questão de baixar o que é novo, testar, avaliar e divulgar para outras pessoas que tiveram um dispositivo com o mesmo SO. É uma ótima chance de sair na frente e conquistar um mercado que, a longo prazo, pode ser enorme. A Mozilla vem fazendo um ótimo trabalho no Firefox OS. Mesmo sendo um SO “bebê”, soube aprender com os erros e acertos de seus concorrentes.

W: Quais seriam as principais diferenças no processo de desenvolvimento para Firefox OS?
MS: Desenvolver para a plataforma da Mozilla não tem segredo. É utilizar o que já vem sendo estudado, praticado e validado há muito tempo para interfaces gráficas na web (HTML, CSS e JavaScript). Desenvolver para Android, iOS e Windows Phone requere treinamento específico em cada uma delas. Só a empresa consegue dar manutenção e atualizar seus aplicativosnativos, em diferents plataformas. No Firefox OS, foi só aplicar o que já sabia para web. O Marketplace possui uma ótima documentação, o mesmo estilo de submissão da App Store, porém mais simples. Em alguns dias o BraSum já estava disponível na loja digital. Todo esse processo levaria meses para as outras plataformas.

W: O mercado mobile está cada vez mais competitivo. Como você enxerga esse cenário?
MS: É ótimo. A competição obriga você a não ficar estagnado, acomodado. E faz bem, tanto para o consumidor final quanto para quem desenvolve e cresce com esse ciclo. Ainda, creio que o mercado brasileiro tem muito a evoluir.

*Publicado originalmente na edição 162, de janeiro de 2014. Todos os direitos reservados. 

 

Comente