Startup

Up nas redes sociais

beonpop site

Startup Beonpop trabalha com serviço para medir e aumentar a influência de perfis no Facebook

beonpop site

 

Desde que as redes sociais se transformaram em ferramentas poderosas de marketing, muitas empresas voltaram seu foco para elas com o objetivo de se aproximar e melhorar a relação com os clientes. Algumas fizeram a lição de casa direitinho e cresceram com isso, outras derraparam no meio do caminho por um simples motivo: não ter a mínima ideia de como lidar com o serviço.

A startup brasileira BeOnPop foi desenvolvida para dar uma força para empresas e pessoas comuns que desejam se tornar influentes nas redes sociais. “Aos poucos, o mercado percebeu que não dava para desprezar uma plataforma como o Facebook, que reúne tanta gente. Mas como apenas quem sabe se relacionar corretamente com o público acaba se dando bem nesse tipo de mídia, encontramos um nicho de atuação”, explica Fernando Tessari, sócio e COO da startup.

Com diversos serviços de auxílio na presença digital, a BeOnPop atende hoje aproximadamente 300 mil pessoas em mais de cem países. Além disso, a empresa cresce em média 30% ao mês e já foi chamada para participar de programas e eventos nos Estados Unidos.

Como funciona

A ferramenta funciona como um aplicativo do Facebook e fica disponível quando o usuário está logado. Para usá-la, é necessário autorizar o BeOnPop a ter acesso a algumas informações pessoais de seu perfil, como lista de amigos, endereços de e-mail, fotos e curtidas.

A partir daí, o sistema conta com um algoritmo que analisa e mapeia a performance de cada pessoa ou empresa no Facebook. Para isso, são usados dois tipos de atribuições: POP Score e POP Level. O Pop Score é responsável pela comparação entre amigos e concorrentes. Enquanto isso, o Pop Level reúne insights de como melhorar o desempenho dos perfis na rede social.

“Baseado nesses dois conceitos, a plataforma disponibiliza informações sobre o desempenho, o conteúdo e a audiência da página. Esses fatores são essenciais para gerenciar a estratégia de marcas, celebridades ou políticos nas mídias sociais”, conta Tessari.

Segundo o empreendedor, uma série de empresas adota a ferramenta para gerenciar promoções, analisar os conteúdos de que o público mais gosta e descobrir quem são os seguidores mais importantes e fiéis. “A solução é focada no engajamento da audiência já conquistada e também nos caminhos que podem fazê-la aumentar ainda mais. É por isso que ela pode ser usada tanto por empresas como por usuários comuns”, afirma o COO da startup.

Desenvolvimento e renda

O processo de monetização do BeOnPop é simples: empresas que quiserem usar os serviços devem pagar um valor proporcional ao número de seguidores de suas páginas. Para esse tipo de processo, a startup trabalha apenas com planos de assinaturas mensais. “Enquanto isso, o usuário comum pode usar gratuitamente as funcionalidades para o perfil pessoal” conta Tessari.

Para se firmar no mercado, a empresa contou com alguns investimentos financeiros. “Recebemos um Seedmoney da Ventiur.net no início das operações e testes de tração no Brasil, bem como um angel investment para implantação do modelo comercial”, explica o fundador.

Experiência nos EUA

A startup brasileira já está conquistando seu espaço nos Estados Unidos. A trajetória internacional começou quando o pessoal do BeOnPop foi chamado para participar de um programa de aceleração no início do ano. O processo foi realizado em São Francisco e contou com uma série de reuniões realizadas no Vale do Silício.

“É incrível como eles têm um ecossistema propício para desenvolver negócios. Todos estão muito abertos a inovação, a ajudar e a fomentar novas ideias”, conta o empresário.

Tessari ressalta, porém, que é preciso ser esperto e rápido para se dar bem na terra do empreendedorismo. “Se você for tomar um café, a pessoa ao seu lado pode ouvir seus planos, ser um investidor, um gênio da tecnologia ou um grande executivo do Facebook”, completa. E aí seu negócio pode não valer mais nada.

Para mostrar que não brinca em serviço, o BeOnPop foi ágil e marcou presença no Collision Las Vegas 2015, evento que reúne pessoas ligadas ao mundo dos negócios tecnológicos. “É um ponto de network para 10 mil pessoas e um grande showcase de startups. Inscrevemos o BeOnPop e, após um processo de apresentação e entrevistas, fomos selecionados”, afirma Tessari.

O Collision Las Vegas é classificado como coirmão norte-americano do Web Summit, maior conferência de tecnologia da Europa. A edição de 2015 foi realizada em maio e contou com 500 palestrantes.

Expectativas para o futuro

Tessari conta que tem planos grandes para o BeOnPop. O objetivo do empreendedor e de seus sócios é que a empresa seja o índice global de desempenho nas redes sociais, fazendo que cada vez mais pessoas possam tomar decisões baseadas em resultados. “Já realizamos testes em outros mercados e notamos que o conceito é universal e aderente a qualquer sociedade e cultura”.

O empresário explica que, para expandir a startup, é preciso fazer parcerias estratégicas e levar o negócio para os Estados Unidos, onde o alcance global é mais fácil. Além disso, os sócios estão abertos a novas oportunidades que podem surgir do negócio.

Por trás da mesa

A ideia de criar uma ferramenta que oferecesse dados de relevância sobre um perfil do Facebook surgiu em um jantar. Um dos fundadores da empresa, Alexandre Stumpf, estava comendo com amigos quando surgiu uma questão: qual deles era o mais popular nas redes sociais? O empreendedor percebeu que não havia consenso sobre qual dado usar nas comparações. “Daí surgiu a ideia de criar um índice (KPI) que pudesse ser usado de forma confiável”, conta Tessari.

Stumpf, que é bacharel em ciências da computação e especialista em segurança da informação, juntou-se a Tessari, especializado em ciências da computação, e Cleber Rodrigues, bacharel em análise e desenvolvimento de sistemas e especialista em desenvolvimento em nuvem. E, desde então, as redes sociais nunca mais foram as mesmas.

 

Comente