Marketing

Uma maneira original de divulgar

Altbox-startup

Altbox inova ao estimular o público a avaliar e se responsabilizar pela publicidade de produtos no Facebook

Na foto, da esquerda para a direita, os fundadores da Altbox: André Rosa, Pedro van Rooij, Guilherme Tancredo e Pedro Savi

O marketing é fazer um marketing diferente. Com essa proposta nem um pouco modesta, a startup Altbox traz à tona a ousada ideia de passar uma rasteira nos meios tradicionais de publicidade e fazer o consumidor ser o responsável pela divulgação de uma marca ou produto.

O processo, simples na essência, consiste em oferecer gratuitamente itens dos mais variados segmentos para pessoas previamente cadastradas em um sistema. A partir daí, os “contemplados” ficam encarregados de testar, analisar e avaliar o produto em redes sociais, como o Facebook. Quanto mais divulgação houver, positiva ou negativa, mais chances o usuário terá de receber outras mercadorias. E, na outra ponta da linha, o público-alvo se sentirá confiante diante de uma avaliação vinda de usuários finais como ele, e não de marqueteiros.

Como funciona

Na prática, o processo começa quando uma empresa contrata os serviços de publicidade da Altbox. Com o registro em mãos, a startup solicita amostras dos produtos que deverão ser divulgados e as envia para usuários comuns cadastrados no sistema.

André Rosa, administrador e um dos criadores da plataforma, explica que os itens não precisam ser devolvidos pelos destinatários. “Mesmo porque não enviamos nenhum tipo de amostra grátis. Nossa intenção é sempre trabalhar com produtos prontos para ser vendidos no mercado, de modo a gerar mais confiança às análises”, diz.

A distribuição leva em consideração as características das pessoas cadastradas no sistema. Isso porque os itens devem se encaixar em um perfil previamente estipulado pela contratante, tornando o processo exclusivo e focado em determinado público-alvo.

Ao receber o produto em casa, tudo o que o usuário precisa fazer é testar o item e tirar uma foto para divulgação. Essa imagem deve ser postada no Facebook, junto a uma avaliação. É fundamental que o post seja público. Afinal, só assim a equipe da Altbox conseguirá ter controle do conteúdo.

Além disso, em vez de publicar diretamente em sua página do Facebook, o usuário deve entrar na plataforma desenvolvida pela Altbox. Ela funciona como um intermediário para as divulgações e, mais do que isso, permite que a equipe da empresa monitore o desempenho da postagem.

Como a interação é a chave do negócio, quanto mais curtidas, comentários e compartilhamentos o post tiver, mais pontos o usuário ganha. Para participar do processo, é necessário entrar no site da Altbox e solicitar um cadastro. Depois disso, você entra em uma fila de espera e fica no aguardo de sua chance. O tempo varia conforme a quantidade de produtos disponíveis para envio.

A evolução da publicidade

Segundo Rosa, a Altbox já nasceu com a intenção de quebrar conceitos. “Acredito que as propagandas tradicionais interrompem ações, forçando o expectador a assistir à informação e recebê-la de forma inadequada. Acredito muito mais em uma publicidade transparente, na qual o consumidor tenha contato com algo que nunca experimentou antes”, afirma. “É por isso que as pessoas estão se distanciando do marketing tradicional, seja na internet, com o AdBlock, seja na TV, com serviços como o Netflix. É preciso buscar algo mais confiável, sem truques de edição, que não convencem mais ninguém”, completa o administrador da startup.

Hoje, os serviços da Altbox podem ser usados por empresas de qualquer ramo, desde que o produto possa ser enviado pelo correio. “Isso é legal, pois podemos fazer propaganda para marcas mundiais e também para uma pequena padaria de bairro que quer atingir seus clientes”, diz.

As empresas que usam o serviço recebem todas as avaliações e o acompanhamento de cada post. Mas, por medidas de segurança e garantia na entrega dos resultados ao consumidor final, nenhum dado pessoal dos usuários é divulgado para os contratantes.

Com todos esses conceitos bem definidos, as expectativas para o futuro da Altbox são positivas e promissoras: “Esperamos que o mercado se adapte cada vez mais a esse meio de mídia. Acredito que vamos conseguir convidar ainda mais usuários para a nossa plataforma e, com isso, aos poucos, mudaremos o jeito de fazer propaganda”, conta Rosa. Ousado? Pois é assim que surgem as grandes empresas.

2 Comentários

Comente