Blog

Dispositivo que cria “nuvem pessoal” chega à América Latina

wd my cloud

WD My Cloud funciona como um HD externo com armazenamento em nuvem e deve começar a ser vendido no Brasil em alguns meses

Durante evento em Santigo (Chile) na tarde da última terça-feira (5), a Western Digital marcou a chegada de um dos seus dispositivos mais promissores: o WD My Cloud. O aparelho permite que o usuário armazene dados de seu computador, smartphone e tablet em uma “nuvem pessoal”, a qual só ele tem acesso.

Em apresentação para jornalistas, Ron Pack, diretor sênior de vendas para a América Latina, disse que o foco do produto está em unir conteúdos fragmentados em múltiplos dispositivos. Pack ainda afirmou que os usuários “estão insatisfeitos com os serviços de armazenamento em nuvem”. “Não sabemos onde está a informação [nesses serviços] e se está em um lugar seguro”, comentou. O executivo comparou o WD My Cloud com ferramentas como Dropbox e Google Drive, que oferecem o Cloud Compunting em um sistema público de armazenamento de dados.

Para Oscar Rodriguez, gerente de vendas da divisão de soluções da WD, a questão da segurança foi um “gancho” para o produto. “Se ocorrer uma falha em algum desses serviços de nuvem pública não sabemos onde estão nossas informações”. Rodriguez ressaltou a facilidade de saber exatamente onde estão seus arquivos pessoais ou de trabalho, e que com o dispositivo não há taxas mensais para expandir o espaço disponível. “Nós podemos ter o controle da informação”, concluiu.

Nuvem própria
Em uma linguagem mais leiga, o WD My Cloud tem o funcionamento parecido com o de um HD externo. A diferença é que os dados e informações guardadas ali podem ser acessados de qualquer dispositivo, seja no tablet ou em um notebook.

É possível subir arquivos diretamente do celular para o aparelho que fica conectado à rede, em casa ou no escritório. O equipamento, que tem cerca de 17 cm de altura, tem três versões diferentes com capacidades de 2 TB, 3 TB e 4TB. Através de um aplicativo móvel para Android e iOS, dá para encontrar tudo o que é enviado para a nuvem, mas é preciso uma conexão rápida. No computador, o dispositivo é compatível com os sistemas Windows 8, 7, Vista ou XP (SP 3); Mac OS X Mountain Lion, Lion ou Snow Leopard.

Há opções de backup para salvar as informações em outros locais e o usuário também consegue expandir a capacidade do My Cloud conectando um disco rígido externo com porta USB 3.0. Serviços como Dropbox podem ser integrados à ferramenta, permitindo a transferência de arquivos em um só lugar. Um sistema de proteção por senha limita o acesso ao dispositivo.

wdfMyCloud

(imagem: divulgação) HD externo que cria uma nuvem pessoal para guardar dados pode se integrar a serviços como Dropbox

Disponibilidade no Brasil
O HD externo foi lançado em outubro de 2013 nos Estados Unidos, e conquistou os usuários por lá com seu conceito de “servidor” à disposição, em casa. Segundo Daniel Parra, o diretor de marketing da América Latina, o dispositivo esgotou em algumas lojas, no mercado americano em apenas três dias.

Parra explica que, no Brasil, o contato com os varejistas parceiros já está acontecendo e que ainda falta concluir processos de regulação técnica no País, como a certificação e adaptação dos cabos e tomadas de alimentação aparelho. Uma versão do My Cloud, mais profissional, voltada para empresas também deverá chegar ao mercado. A previsão é que o dispositivo esteja disponível dentro de dois a três meses.

Os preços oficiais ainda não estão disponíveis. A estimativa de custo está entre US$ 199 a R$ 299, variando de acordo com a capacidade de armazenamento.

• Leia as principais notícias de tecnologia

• Entrevistas com os principais especialistas da web

• A opinião sobre os assuntos do momento na internet

Comente