Opinião

A importância de começar pequeno

comece pequeno

O especialista em e-commerce Marcio Eugênio explica porque você não deve começar a sua loja virtual para ser a próxima Netshoes ou Submarino

*Por Marcio Eugênio

Marcio eugenio perfil

Um problema que percebo ser recorrente entre os micro e pequenos empreendedores que estão começando, ou que querem começar uma loja virtual, é o de iniciar seus negócios pensando que é a próxima Netshoes (mas podemos trocar este nome também para Submarino, ou Dafiti, ou qualquer outra gigante do mercado de e-commerce). 

Na verdade, não vejo problema algum no mercado de pequenas e médias empresas ter estas grandes como guias para o crescimento de sua loja. Muito pelo contrário. Por trás destas grandes marcas, existem histórias interessantíssimas que podem inspirar quem acabou de começar.

O problema, na verdade, está em achar que é possível começar oferecendo a mesma quantidade de produtos que uma mega loja virtual.

Um faturamento com mais de R$ 1 bilhão e aproximadamente 39 mil produtos cadastrados, como é o caso da Netshoes, só é conseguido depois de anos de trabalho e muito planejamento. Este é o maior erro dos empreendedores MPE’s: querer comparar o cenário atual de uma gigante do e-commerce com a loja virtual recém-criada. Não tenha vergonha de ser pequeno! Seja pequeno e sonhe grande! 

Não adianta tentar agarrar o mundo com as pernas e querer atender todos os tipos de clientes que passarem pela sua loja virtual, oferecendo mais de mil produtos em seu e-commerce. Isso não só pode confundir o comprador, como também existe muito esforço por parte do micro e pequeno empreendedor, que terá em cadastrar e controlar um estoque de mil produtos, um volume muito denso para quem está começando. Além disso, um “mix” de produtos muito extenso para os marinheiros de primeira viagem, pode dar prejuízo e, com o tempo, a quebra da empresa é quase certa.

É muito importante ter foco no começo da empreitada, saber exatamente quem é seu público-alvo e procurar atender o cliente de forma eficaz. Com uma variedade de produtos menor (porém com uma grade com todos os tamanhos e cores disponíveis), é possível concentrar sua energia para atender e oferecer ao cliente um produto e serviço com melhor qualidade.

A partir daí, pensar em crescimento é natural, mas precisa sempre de um bom planejamento. Atendendo bem o nicho de mercado onde a loja virtual atua, é possível crescer de forma escalonada e sustentável, expandindo para novos nichos, ou até mesmo projetando um número maior de vendas para o mesmo público que a loja virtual já atende.

Portanto, é possível começar pequeno e se tornar grande. Basta não trocar os pés pelas mãos e se planejar.

*Marcio Eugênio é especialista em e-commerce e atua no mercado de tecnologia desde 1997. É sócio-fundador e responsável pela área comercial e marketing da DLoja, desenvolvedora de loja virtual para micro e pequenas empresas. Natural de Cachoeirinha, RS, Eugênio é formado em Administração de Empresas, pela UNIFIN, de Porto Alegre e especializado em Marketing Digital e Gestão de Vendas. O executivo já trabalhou em diversas empresas da área de tecnologia como Grupo Processor, Perdigão e Avipal.

• Leia as principais notícias de tecnologia

• Entrevistas com os principais especialistas da web

• A opinião sobre os assuntos do momento na internet

Comente