Opinião

A Internet das Coisas

INTERNET DAS COISAS

Não basta ter uma conexão de acesso à web e consumir pouca energia. Um dispositivo bom é aquele realmente útil e fácil de usar

Por Edson Romão*

Smartphones e tablets não são o ponto final da escala da computação. A próxima onda ainda está sendo definida. A vinda dos computadores portáteis e sensores sofisticados na robótica são apenas alguns dos pedidos iniciais que o mercado e as pessoas têm feito às indústria. A Internet das Coisas coloca um chip e uma conexão em todos os tipos de dispositivos que estão no dia-a-dia dos seres humanos e faz a máquina trabalhar em tempo real para o homem.

Fabricantes de processadores como a Intel têm preparado hardware e software para esta revolução, pensando em capacidade de processamento e economia de energia, pois, na Internet das Coias, isso é essencial. Dispositivos pessoais conectados – isso é uma tendências que vem acontecendo há mais de 10 anos na indústria e torna-se algo cada dia mais simples, pois a mudança de arquitetura da CPU [unidade central de processamento] para SoC [system-on-chip] promovida pelos fabricantes de hardware, alavanca esta tendência extremamente acelerada.

A Intel ostenta o poderoso título de empresa que projeta e constrói as tecnologias que servem como base para todos os dispositivos computacionais do mundo. É muito forte isso. Quanto mais dispositivos móveis conectados á internet, mais a Intel estará ali dentro – é sua máxima. Com isso há uma crescente necessidade de que surjam aplicações e serviços para uma experiência rica para os usuários.

Não basta ser rápido e econômico no uso da energia, precisa ser realmente útil, relevante e simples. Por isso, eles ajudam os desenvolvedores a monetizar esta oportunidade, oferecendo conhecimento, serviços em nuvem e dando recursos que podem ser usados para o surgimento de aplicativos e jogos. Afinal, a Internet das Coisas precisa sempre atender aos seus donos.

Produtoras de jogos como a Gameloft, uma das líderes mundiais em jogos digitais e sociais, anunciou seus planos para melhorar os próximos títulos na plataforma Android, especialmente nos dispositivos que utilizam arquitetura Intel. “Estamos entusiasmados para otimizar nossos próximos jogos para as novas plataformas Android rodando arquitetura Intel e mais uma vez expandir nosso catálogo de jogo para novos smartphones de alto desempenho e tablets”, afirma Gonzaque de Vallois, vice-presidente sênior de publicação da Gameloft.

Atenção desenvolvedores, existe uma novidade da Internet das Coias. A Intel XDK é uma ferramenta de software que faz parte do ambiente de desenvolvimento HTML5 da Intel. Ela ajuda a criar aplicativos que podem ser escritos uma vez e executados através de dispositivos e ambientes operacionais que incluem servidores, computadores, tablets, telefones e mais além, a “Internet das Coisas”

*Edson Romão criou o fenômeno hpG e é sócio da Aprex

Comente